Histórias que mostram como é bom viver com senso de humor

Dar boas risadas deveria ser o dia a dia das pessoas, principalmente para tornar os problemas mais fáceis, sim porque basicamente todos tem problemas. Afinal, quando rimos de uma situação incômoda ou fazemos piada num momento complicado, todos ao redor se sentem melhor de imediato.

Veja abaixo alguns histórias incríveis que tornaram o dia de pessoas mais divertidos. 

  • Minha melhor amiga casou graças ao seu bom humor. Ela tem seios pequenos e usa sutiã com enchimento. Um dia, fomos à praia. Com um movimento supostamente sensual, ela tirou a entrada de banho que usava. Só que, na mesma hora, seu sutiã caiu junto com os enchimentos. Como se nada tivesse acontecido, ela falou: “Nossa, que ventania! Levou até meu sutiã e meus peitos“. O rapaz que estava tomando sol ao nosso lado quase morreu de rir. Um mês depois, ele pediu minha amiga em casamento. E os seios pequenos fizeram o maior sucesso.
  • Compramos um pouco de papel comestível para o restaurante onde eu trabalhava, pensando em fazer um cardápio que as pessoas pudessem comer também. Aproveitei e comprei algumas folhas para levar para casa. Minha esposa chegou e me viu sentado na cozinha, com vários papéis ao meu redor. Horrorizado, eu falei: ”Você chegou bem a tempo! Eles sabem de tudo! Coma os papéis, ou iremos para a cadeia!“. Coloquei uma folha do papel comestível na boca e dei a ela uma de papel comum. E ela devorou em 2 segundos! Não lembro quando tinha sido a última vez em que ri tanto.
  • Sou programador de informática e trabalho de casa. Costumo passar o dia todo trabalhando só de cueca. Trabalho, vou à varanda fumar, preparar algo na cozinha: tudo de cueca. Ontem à noite, terminei meu trabalho, vesti uma bermuda e saí para dar uma volta na rua. Minha esposa falou: “Estou vendo que você já acabou seu expediente! Até trocou de roupa!”.

    Eu estava numa loja comprando vinhos com minhas amigas. Apesar de eu ter 27 anos, a balconista pediu minha carteira de identidade. Eu sorri e disse que, para mim, aquilo era um elogio. Ela suspirou e respondeu: “Você me entendeu errado. Eu sempre peço as identidades para poder rir das fotos antigas“.

  • Outro dia, eu estava no metrô. Uma mulher grávida entrou no vagão. Um rapaz ofereceu seu lugar para que a mulher sentasse. Ela agradeceu e sentou, sempre com a mão na barriga. Quando se aproximava de seu destino, a mulher levantou e se dirigiu à porta. Foi quando vi uma almofada caindo de baixo do seu suéter! Envergonhada ao ver sua mentira descoberta, ela correu para a saída. O rapaz que havia cedido seu assento pegou a almofada, sorriu e disse: ”Senhora, com licença, mas o seu bebê caiu…“
  • Sou garçom. Um dia, voltei para casa cansadíssimo. Irritada, minha namorada perguntou: “Ei, garçom, cadê o meu capuccino?”. Fui correndo à cozinha ’no automático’ para preparar a bebida, quando lembrei que estava em casa e a ouvi morrendo de rir. 
  • Um dia, cheguei em casa e vi um desastre total: farinha espalhada por todos os lados e meu marido cozinhando algo. Fiquei mais irritada do que nunca. Meu esposo me olhou, pegou um punhado de farinha e jogou no chão, criando uma fumaça típica dos filmes de ninjas, deu um rodopio e saiu correndo. Truque de desaparecimento para evitar minha ira!
  • Minha irmã veio me visitar. Como sou costureira, tenho um manequim em casa. Às vezes, até converso com ele, como se o boneco fosse meu namorado. Um dia, levantei pela manhã e, como sempre, falei com meu amigo imaginário, dizendo ao manequim: “Tom, prepare meu café“. E fui eu mesma preparar. Fui ao banheiro e deixei o café em cima da mesa por alguns minutos. Quando voltei, disse: ”Obrigada, Tom!“. Minha irmã perguntou: “Com quem você está falando?” Resolvi aproveitar e fazer uma pegadinha, dizendo que o manequim era, na realidade, um robô. Quando eu estava a ponto de sair de casa para o trabalho, ouvi minha irmã: ”Tom, prepare meu café. Tom, café! Ei, não está me ouvindo?“.
  • Há pouco tempo, um amigo meu virou policial. Só que, ao ser chamado para a primeira ocorrência, estava tão bêbado que dormiu no chão do banheiro. Agora, eu o chamo de ”policiálcool“.
  • Vi um homem que escorregou numa escada rolante e, mesmo sem levantar, começou a descer, sentado mesmo. Ele reclamava: “Que droga, isso sempre acontece quando quero subir pela escada profissional”.
Por em 19 set 2017. Arquivado em Entretenimento. Você pode acompanhar quaisquer comentário a esta notícia através do RSS 2.0. Comentários e pings estão fechados no momento.

Comentários fechados.

Design by Design in Site
Todos os direitos reservados. Gazeta 24 horas.