Autuori: “Tenho que ser leal comigo mesmo”

A demissão de Eduardo Baptista do comando do Atlético-PR nesta segunda-feira acabou levando o gestor técnico Paulo Autuori a pedir demissão do Furacão. Autuori era o treinador do clube até assumir o cargo de gestor do departamento de futebol no Furacão com a chegada de Eduardo Baptista. Inclusive, foi ele mesmo que somou esforços para contratar o técnico, e deixou claro que sairia caso Baptista pedisse demissão ou fosse demitido.

– Uma coisa que eu tenho que ser é leal comigo mesmo. Não sei se fui bom ou mau técnico, mas sei que a minha carreira eu pautei toda ela em princípios morais que são inegociáveis em decisão a determinadas decisões que tomo. Então, quando da chegada do Eduardo Baptista, eu disse que seria fiel e honesto àquele profissional. E que na hora que o processo fosse interrompido por qualquer motivo, e aqui não estou eu para julgar nenhum lado ou outro, eu cumpriria com aquilo que eu havia falado naquele dia. Ou seja: de que também sairia. Apenas fui fiel e leal às palavras que naquela altura proferi (…). Só sei viver assim.

Quando da chegada do Eduardo Baptista, eu disse que na hora que o processo fosse interrompido por qualquer motivo, e aqui não estou eu para julgar nenhum lado ou outro, eu cumpriria com aquilo que eu havia falado naquele dia. Ou seja: de que também sairia.” Paulo Autuori

Paulo Autuori deixou claro também que, com relação ao prosseguimento à sua carreira, não voltará a ser treinador no futebol brasileiro, conforme afirmara quando deixou o cargo no Atlético-PR para assumir a função de gestor do departamento de futebol do clube.

– Como falei também que não voltaria a ser técnico no Brasil, pode ter certeza de que isso irá acontecer. Quando decidi não continuar como técnico não foi por nada, porque adoro a profissão. Adoro futebol. Mas vejo a conjuntura do futebol brasileiro como um todo muito ruim. (…). E a gente não pode confundir performance de seleção brasileira com a realidade e o contexto do futebol brasileiro, do qual eu sou muito crítico.  Portanto, não continuarei a minha carreira de técnico no Brasi. Fora do Brasil, estarei receptivo, desde que me agrade e que seja algo em que se possa fazer alguma coisa, não apenas pelo aspecto financeiro, poderia aceitar sem problema algum – disse Autuori

Por em 10 jul 2017. Arquivado em Esportes. Você pode acompanhar quaisquer comentário a esta notícia através do RSS 2.0. Comentários e pings estão fechados no momento.

Comentários fechados.

Design by Design in Site
Todos os direitos reservados. Gazeta 24 horas.